Redescoberta

Regressei recentemente a uma actividade que me encheu e preencheu a vida há (muitos) anos atrás: o teatro. Com algumas hesitações  de permeio, eis que tamborilo um timbalão na “Conquista de Lisboa aos Mouros” levada à cena pelo Acção Teatral ARTIMANHA. Há quem diga que teatro é um pouco mais , muito menos, longe e perto, riso e lágrima, desenrascanço, técnica, amuos, paixões… frases feitas, gestos por fazer, luz, som… Cá por mim estou a redescobrir e a gostar de cada momento Continuar a ler Redescoberta

Memória do 11 de Março

Estava no pátio da Escola Comercial Ferreira Borges. Vimos um avião de caça picar sobre o Palácio de Belém. Não disparou. Outro foi matar o soldado Luís na parada do RALIS, do outro lado da cidade. A rádio da escola avisou que estava a haver um golpe militar. Fechamos a escola. Reunimos uma RGA. À nossa escala defendemos a democracia. Pouco tempo depois começamos a ouvir falar da “ameaça comunista”. O PS, lado a lado com os bombistas do ELP/MDLP preparava a guerra civil e pedia a intervenção da NATO. Em Novembro o General das patilhas repunha a “ordem”. Os … Continuar a ler Memória do 11 de Março

A "classe" dos políticos

Feroz devorador das formas para além das coisas, tive hoje oportunidade de escutar o debate sobre a crise do sistema político entre candidatos às próximas legislativas. Não me apetece fazer deste blog um panfleto político. Outro espaço encontrarei para esse debate, mas uma frase dita por um hipotético futuro governante ficou-me a bailar na cabeça. Foi numa comparação entre o 25 de Abril e os dias de hoje e rezou mais ou menos assim: “No 25 de Abril as pessoas estavam ávidas de ouvir os políticos, hoje desconfiam” Eu até era miúdo nessa altura. Tinha para aí 15 anos mal … Continuar a ler A "classe" dos políticos